Prefeito Adriano Ribeiro assina decreto e concede progressões a servidores da Educação de Barrolândia

O prefeito de Barrolândia, Adriano Ribeiro, assinou nesta segunda-feira (02) o decreto que regulamenta as atividades da educação e enquadra a classe dos professores municipais em todas as vantagens previstas no Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos Servidores Públicos do Poder Executivo (PCCR).

O PCCR permite ao servidor fazer um planejamento real de carreira, o que significa vislumbrar as possíveis promoções e o tempo necessário para alcançá-las. Além disso, tem o objetivo de alcançar o equilíbrio interno e externo, por meio da definição das atribuições, deveres e responsabilidades de cada cargo e, consequentemente, os seus respectivos níveis salariais.

Para Adriano, a assinatura do PCCR faz uma reparação histórica. “Estamos felizes em propiciar a atualização das progressões e realizar a retificação de enquadramento desses servidores que tanto aguardaram por este momento, cujas atuações são de fundamental importância para o município” destaca o gestor.

De acordo com a secretária municipal de educação, Rosimeire Facundes, somente no ano de 2017 – no início da gestão do prefeito Adriano Ribeiro – é que foram organizadas as respectivas progressões a cada servidor e regularizados os níveis salariais, o que gerou um grande impacto na folha salarial da educação, porém garantiu o que vários servidores aguardavam há anos, a dignidade e os direitos devidos.

“Mais uma vez estaremos diante de um desafio, pois o decreto gera um aumento de cerca de 20 mil reais à folha salarial mensal dos servidores efetivos – o que corresponde a 260 mil reais ao ano. Mas nosso dever é este, de garantir o direito dos servidores, e quando estamos em uma gestão comprometida, isso é sim possível” afirma a diretora da pasta.

“Faz-se necessário ressaltar ainda que vários secretários passaram pela pasta e tiveram o interesse de fazer o devido enquadramento, porém sem o total apoio do gestor nunca foi possível concretizar essa conquista, que para muitos era um sonho” conclui Rosimeire.

Compartilhar

Desenvolvido por